quinta-feira, outubro 07, 2010

Revisão História da Educação

Revisão das aulas de História da Educação com o Profº Sérgio Aguilar (palavras dele)
                                 
Aula 1
História vem da palavras grega Histor que significa olhar o que está a nossa volta, apreender a realidade, procurar entendê-la.
Educação no sentido mais amplo como Prática Social e no sentido mais restrito como educação escolar.
A História da Educação no Brasil se iniciou na década de 30 com a Escola Nova com os reformadores da Escola Nova, mas ainda não como uma ciência propriamente dita, mas como uma ciência auxiliar .Ela foi se construindo com a influência da Escola de Annalis Francesa.
Vimos a formação da Grécia Antiga do mundo grego desde o Génos a Pólis, que como a cidade foi se constituindo e a educação da Aristocracia e a educação dos trabalhadores foi se conformando neste período através das obras Homéricas “Ilíadas e Odisséia” e Hesíodo “ O trabalho e os dias”

Aula 2
Vimos que a educação do cidadão Grego era mais ou menos de duas formas: a Educação Comunitária e a Educação dos Jogos. A educação do cidadão grego era rigidamente controlada pelas Leis , pelos Metos e Ritos.
Em Atenas a educação era a Paidéia (é a formação humana livre) e essa educação se dava pela educação comunitária através do Teatro e através do Jogos.
A Guerra do Peloponeso prejudicou fortemente o mundo grego, uma guerra entre as cidades aliadas de Esparta contra as cidades aliadas de Atenas isso enfraqueceu o mundo grego e levou a dominação do Império Macedônico, mas que teve como consequência a difusão da cultura Helenística do mundo mediterrâneo.

Aula 3
Vimos como era a educação na Roma Republicana (509 A.C à 27 A.C)
Esse foi o período que a educação valorizava a Austeridade, a Disciplina,  Educação Física Militar e a Educação Jurídico Moral no período da Roma Arcaica que vai até a Roma Republicana e basicamente a formação do cidadão dos Civis- Romanos.
A educação na época Imperial na época da grande Expansão Romana já se diferencia da educação Arcaica, Agrária e Primitiva. Essa educação vai ser mais aberta inclusive devido as lutas sociais dos plebeus que vão exigir também os seus direitos e também educação, escola.
Houve aí então a difusão da escola pública e a Romanização do Império Romano, via educação, via formação de escola que também era necessária para formação e administração do extenso Império Romano.

Aula 4
A Idade Média não foi só um período de trevas como muita gente fala, na Idade Média houve aí a criação das Universidades, das Faculdades, escolas e a difusão e manutenção do pensamento e da cultura Greco-Romano remodelada agora com a cultura cristã e neste momento a educação se dava através da religião e pelo trabalho.
A criação das Universidades: primeiro os colégios, as escolas catedrais que vão ensinando as Artes Liberais dirigidas pela Igreja Católica até a gente chegar ao auge das Universidades no Século XIII que se espalham pela Europa.
A educação se dava através do trabalho principalmente a educação das camadas populares se davam nas Corporações de Ofício onde os aprendizes aprendiam com os mestres a ter uma profissão, mas não podemos esquecer que havia uma aversão nobre e religiosa ao trabalho manual ainda um resquício da cultura Greco-Romana.

Aula 5
A baixa Idade Média é o período em que vai do Século XI até basicamente ao Século XV, esse foi o período do Renascimento comercial urbano que acontece na Europa. Ressurgem as cidades e com elas o comércio, aquele período de Ruralização da Idade Média é então gradativamente substituído pelos Burgos pelas cidades e aí a ascensão da burguesia.
Nesse período a crise Feudal acontece exatamente entre o Séc. XIV e XV e foi uma crise de subprodução porque com o crescimento das cidades, com o crescimento populacional a produção agrícola não deu conta da demanda. A produção agrícola ainda era Feudal Medieval voltada a subsistência, isso gerou muita fome, peste, gurerra e um quadro de muita pobreza na Europa até o Séc. XV.
O Renascimento na Educação tem tudo a ver com o Renascimento Artístico, Literário Científico, (neste período Séc. XIV, XV, XVI) e é esse período do Antropocentrismo, que temos a Visão Antropocêntrica contra a Visaõ Teocêntrica, (o homem o centro de todas as coisas , não mais a fé , a razão,) mas não negando a fé e isso vai influenciar na valorização da criança e na Educação da criança e do adolescente. 

Aula 6
O Contexto Histórico do Século XVI nos mostra o século das Grandes Navegações, Expansão Marítima e Comercial da Ascensão da Burguesia do Absolutismo e da Crise do Catolicismo.
A Educação da Reforma Protestante aconteceu em 1517 com Martinho Lutero, foi um racha, uma cisão no Catolicismo. Lutero foi excomungado pelo Papa e criou-se aí então o Protestantismo e na educação temos a difusão da leitura e não mais a educação como um privilégio , mas a educação como um direito um dever.


Aula 7
Vimos a contra-reforma com a chegada dos Jesuítas no Brasil do Século XVI, a implantação de todo uma educação voltada a Catequese Indígena e depois ao ensino com a tradição Escolástica e com a tradição Humanística.
E no Século XVII trabalhamos a educação Euroéia da 2º Reforma do Pietismo onde difundiu-se a leitura e a escrita e a proposta para a população através de La Salle, Francke e outros.
Apesar que na época Absolutista do Século XVI, XVII, e XVIII a Educação ainda era um privilégio para a nobreza.

Aula 8
Trabalhamos o Racionalismo do Século XVII e vimos como ele se contrapôs a tradição Escolástica, a tradição da contra-reforma. Esse Racionalismo propunha a experiência, experimentação ( a reflexão, o raciocínio, o conhecimento através do método e da didática.)

Aula 9
A Revolução Científica do Século XVII não chegou ao Brasil mas sim a contra-reforma Jesuítica e rigorosa com barreira ao estudo das mulheres.
O Século XVIII foi o Século da Luzes também na educação. Vimos a grande polêmica deste período que é de transformação, e a que ponto servia a educação para uma nova ordem para um novo homem.

Aula 10
Esta é a continuidade da educação do Homem Novo, a educação das Luzes e o que se propunha aí era uma educação pública Estatal, Laica, Civil, dirigida então pelo Estado voltada a formação do homem cidadão.
Estudamos o contexto histórico do século XVIII no Brasil, para depois aprofundarmos a questão da educação. O século do ouro, da mineração, mas também da crise do antigo sistema colonial e as revoltas antimetropolitanas.

Aula 11
A educação no Brasil do Século XVIII teve como questão marcante a expulsão dos Jesuítas e a tentativa de Marquês de Pombal de instituir aqui uma reforma da educação de base iluminista. Um iluminismo português, cristão e católico.
O Século XIX foi um século de muita efervecência no sentido da expansão das relações capitalistas de produção como o Imperialismo e o Neocolonialismo, mas também novas ideias e teorias políticas Revolucionárias como o Anarquismo o Socialismo Científico e tendências filosóficas desse período como o Idealismo, o Positivismo e o Materialismo.

Aula 12
O Século XIX estava intimamente relacionado a industrialização, urbanização, e qualificação do trabalhador porque a sociedade deste momento que se instituía se consolidava com o capitalismo industrial e exigia um novo tipo de trabalhador.
Três correntes filosóficas deste período: o Positivismo, o Idealismo, e o Materialismo vão influenciar fortemente as tendências Pedagógicas. No século XIX é onde vai se buscar um maior acesso à educação com metodologias mais científicas e uma preocupação com a criança e com a formação dessa criança disciplinada voltada ao mercado de trabalho.

Aula 13
O Século XIX no Brasil foi um século conturbado do ponto de vista político, mas do ponto de vista econômico manteve a estrutura agrário-exportadora dependente, e neste sentido a educação Brasileira estava muito mais voltada a formação das suas Elites, principalmente ligado aos cursos Superiores.
O Ensino Elementar ficou a cargo das Províncias (ensino elementar e secundário)
O Ensino Superior a cargo do poder Central, as províncias não tinham condições financeiras, isto significa, que o ensino elementar voltado a grande maioria da população não foi valorizado apenas o Ensino Superior voltado a Elite Agrária Brasileira.

Aula 14
Nas 3 primeiras décadas do Século XX, estava acontecendo a Expansão Neo-Colonialista Europeia sobre a África e a Ásia, a 1º Guerra Mundial, a Revolução Russa e aqui no Brasil a Republica velha, republica das Oligarquias e suas reações contrárias a ela.
A Educação Brasileira nas 3 primeiras décadas visava a questão da civilização, civilizar a nação Brasileira através das escolas e do ensino e ai a força da Renovação dos grupos Escolares que acabaram não acontecendo devido a falta de investimento e ao grande analfabetismo Brasileiro.

Aula 15
A Educação Higienizada e Eugenizadora foi basicamente defendida nas primeiras décadas do século XX do Brasil a Elite Brasileira e o Discurso Médico propondo então o melhoramento da Raça Brasileira para se atingir o progresso, a civilização isto através da escola.
Novamente a ideologia dominante Brasileira inspirada nas Teorias Científicas raciais Europeias e Norte-americanas. Final do século XIX começo do XX queriam aqui implementar a relação entre saúde moral e trabalho para se produzir então uma mão de obra disciplinada, obediente e ao mesmo tempo limpa ( abastardamento da miscigenação Brasileira)

Aula 16
O Manifesto de 32 dos pioneiros da Educação Nova já colocava aí as suas propostas, este manifesto foi feito também por poetas, escritores, pedagogos, médicos e profissionais liberais, propunham então uma outra escola com outros métodos baseado na Filosofia Liberal democrática de Dewey, onde colocava a criança no centro do processo ela sujeito do conhecimento.
O Movimento Escolanovista do Brasil propunha aí enfrentar os problemas da realidade Brasileira buscando uma escola mais democrática, mais acesso a educação, uma escola única, uma educação voltada para o progresso para a paz que também acabasse com o ensino passivo, um ensino mais ativo mais atuante que acabasse também com a fragmentação das disciplinas propondo um conhecimento mais total na escola( então um pouco mais essas ideias básicas para a Escola Nova no Brasil ).
Apesar de toda a proposta avançada Escolanovista de se democratizar a Educação, o acesso a Educação no Brasil, a escola nova não conseguiu enfrentar o auto índice de Analfabetismo, mesmo muitas vezes se tornando uma Pedagogia Oficial na década de 40 e 50.

Aula 17
Vimos a época dos Anos Dourados na economia e na política Brasileira de grande participação política de grande liberdade, o pluripartidarismo, eleições diretas o período da democratização Brasileira e de grande liberdade cultural a época da Bossa Nova e época do Crescimento Nacional Desenvolvimentista Brasileiro.
Mas os Anos Dourados terminaram em 1964 com a crise do trabalhismo e a instalação do Golpe Militar que instituiu o Regime Militar de 64 a 84, um regime extremamente ditatorial sem liberdade política, artística mas de muita resistência. Que devido a toda esta Resistência Política e Social chegamos a época das Diretas Já da anistia com o fim da ditadura militar.

Aula 18
Estudamos a partir da Constituição de 1967-69 e a Instituição da LDB da Lei 5692. A LDB da Ditadura Militar que instalou matérias disciplinas obrigatórias, o culto ao Patriotismo, mas que também propunha um Ensino Profissionalizante e a Educação geral ao mesmo tempo, mas que acabou não dando certo pela falta de investimentos e pela falta de recursos.
O Esnino Superior no Brasil sempre foi muito mau-tratado porque o Brasil Colonia de 1500-1822 não era admitido Curso Superior aqui, quem quisesse estudar deveria ir a Portugal as Faculdades só começaram a se instalar no Século XIX e as Universidades no Século XX, isso causou na Ditadura Militar um grande crescimento do Ensino Privado em detrimento do Ensino Público e temos hoje um grande problema de Formação de Produção de Ciência e de  Conhecimento.
 
Enviado por Fernanda Alberes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!

Postagem em destaque

Entre em contato e peça um orçamento!.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...