sábado, agosto 04, 2012

Moodle - Práticas de Ensino: Docência



Projeto: Pluralidade Cultura



Tema: Um Brasil Sem Preconceitos Ano/Série: Pré – Escola Disciplina: Historia Tempo de Duração: 6 dias

Objetivo: - Conhecer a diversidade cultural brasileira e respeitar as diferenças - Perceber hábitos e atitudes que reforçam a discriminação, o preconceito - Compreender as diferenças étnicas, classe social, crenças religiosas e outras. Desenvolvimento: 1º Dia: Propor que façam um circulo com as cadeiras e ler para a sala o texto “ Menina bonita do laço de fita”, após a leitura debater sobre o assunto; 2º Dia: Rescrever o conto junto com a sala, cada aluno conta um pedaço da história como eles entenderam, em seguida cada um faz um desenho; 3º Dia: Relembrar o texto no trecho onde o coelho diz (“a gente sempre se parece é com os pais, os tios, os avós, e até com os parentes tortos”) e perguntar para os alunos com quem eles acham que se parecem. 4º Dia: Propor a sala que eles façam uma entrevista com os pais e perguntem quais são suas origens; 5º Dia: Elaborar um mural com recortes de jornais e revistas de varias regiões do país e de pessoas de varias raças e crenças, dividir a sala em grupos; 6º Dia: Cada grupo ira apresentar o seu trabalho dizendo o que entenderam e o que representa para eles a diversidade.
Texto que será trabalhado em sala de aula

Menina Bonita do Laço de Fita

Era uma vez uma menina linda, linda. Os olhos dela pareciam duas azeitonas pretas, daquelas bem brilhantes. Os cabelos eram enroladinhos e bem negros, feito fiapos da noite. A pele era escura e lustrosa, que nem o pêlo da pantera negra quando pula na chuva. Ainda por cima, a mãe gostava de fazer trancinhas no cabelo dela e enfeitar com laço de fita colorida. Ela ficava parecendo uma princesa das Terras da África, ou uma fadado Reino do Luar. Do lado da casa dela morava um coelho branco, de orelha cor-de-rosa, olhos vermelhos e focinho nervoso sempre tremelicando. O coelho achava a menina a pessoa mais linda que ele tinha visto em toda a vida. E pensava: -Ah, quando eu casar quero ter uma filha pretinha e linda que nem ela…Por isso, um dia ele foi até a casa da menina e perguntou: - Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha? A menina não sabia, mas inventou: - Ah, deve ser porque eu caí na tinta preta quando era pequenina... O coelho saiu dali, procurou uma lata de tinta preta e tornou banho nela. Ficou bem negro, todo contente. Mas aí veio uma chuva e lavou aquele pretume, ele ficou branco outra vez. Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez: - Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha? A menina não sabia, mas inventou: - Ah, deve ser porque eu tomei muito café quando era pequenina. O coelho saiu dali e tomou tanto café que perdeu o sono e passou a noite toda fazendo xixi. Mas não ficou nada preto. Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez: - Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha? A menina não sabia, mas inventou: - Ah, deve ser porque eu comi muita jabuticaba quando era pequenina. O coelho saiu dali e se empanturrou de jabuticaba até ficar pesadão, sem conseguir sair do lugar. O máximo que conseguiu foi fazer muito cocozinho preto e redondo feito jabuticaba. Mas não ficou nada preto. Por isso, daí a alguns dias ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez - Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha? A menina não sabia e já ia inventando outra coisa, uma história de feijoada, quando a mãe dela, que era uma mulata linda e risonha, resolveu se meter e disse: - Artes de uma avó preta que ela tinha… Aí o coelho que era bobinho, mas nem tanto - viu que a mãe da menina devia estar mesmo dizendo a verdade, porque a gente se parece sempre é com os pais, os tios, os avós e até com os parentes tortos. E se ele queria ter uma filha pretinha e linda que nem a menina, tinha era que procurar uma coelha preta para casar. Não precisou procurar muito. Logo encontrou uma coelhinha escura como a noite, que achava aquele coelho branco uma graça. Foram namorando, casando e tiveram uma ninhada de filhotes, que coelho quando desanda a ter filhote não pára mais. Tinha coelho pra todo gosto: branco, bem branco, branco meio cinza, branco malhado de preto, preto malhado de branco e até uma coelha bem pretinha. já se sabe, afilhada da tal menina bonita que morava na casa ao lado. E quando a coelhinha saía, de laço colorido no pescoço, sempre encontrava alguém que perguntava: - Coelha bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha? E ela respondia: - Conselhos da mãe da minha madrinha…
Referencia: Site: www.revistaescola.abril.com.br; www.cantinhodoprofessor.ogr; www.apdsantos.blogspot.com; www.crmariocovas.sp.org.br;


COLABORAÇÃO: ANA SERAFIM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!

Postagem em destaque

Entre em contato e peça um orçamento!.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...