terça-feira, novembro 06, 2012

Prova N2

GESTÃO EDUCACIONAL: DIREÇÃO, COORDENAÇÃO E SUPERVISÃO
Parte superior do formulário
1. Segue abaixo:


  • A síndrome Burnout é uma resposta ao estresse ocupacional crônico e se caracteriza pela desmotivação, pelo desinteresse, pelo mal-estar interno ou insatisfação ocupacional que parece afetar, em variados graus, profissionais que lidam com outras pessoas, que resolvem problemas dos outros, como médicos, carcereiros, assistentes sociais, comerciários, pessoas que atendem o público, enfermeiros, funcionários de departamento pessoal, telemarketing, bombeiros e, principalmente, professores. Embora os efeitos sejam danosos, é possível que ele termine com o chamado Fenômeno Fênix. Isso significa que o professor

  • só enfrenta o Fenômeno Fênix se tiver uma estrutura neurótica de personalidade já instalada.
  • enfrenta o Fenômeno Fênix como o início do processo da síndrome de Burnout.
  • pode recuperar-se e retomar o prazer no trabalho, como uma fênix - ave mitológica grega - que renasce das cinzas.CORRETA
  • termina como a fênix, consumindo-se em chamas, "queimando completamente até a incineração completa", como o próprio termo burnout significa.
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário
2. Das afirmações abaixo, sobre o histórico da formação do educador no Brasil, assinale a alternativa correta.

  • No final da década de 1970, Donald Schön propõe a articulação entre a teoria e a prática, na formação do educador, valorizando o enfoque de que o professor deve refletir na sua ação e tornar-se um pesquisador no contexto prático.
  • Nos anos 1980, a formação do educador reflete os efeitos da chamada "crise de paradigmas" da educação. Crescem os estudos sobre os "saberes escolares" como entidades culturais próprias, criações didáticas originais, e não como um saber único, derivado e transposto, inferior ao saber científico.
  • A segunda metade da década de 1990 é marcada pelas críticas não apenas à formação do educador, mas à própria concepção do magistério como um sacerdócio, à ideologia da vocação e à desvalorização e descaracterização - assim como à pauperização e feminização - do magistério.
  • Nos anos 1970, influenciada pela visão funcionalista da educação, pela Psicologia Comportamental e pela tecnologia educacional, a ênfase na formação do educador recaía sobre a dimensão política, vinculando-a à realidade sócio-histórica.   CORRETA
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário
3. Gustavo Boog apresentou um modelo esquemático de mudança que se estratifica em três níveis.


  • A definição que melhor se aplica ao segundo nível (necessidade de aprender/vivência da instituição) é

  • o nível em que ocorre o verdadeiro desenvolvimento da organização, por meio da aquisição de habilidades e capacidades.CORRETA
  • aquele que traz a demanda de construção da definição de diretrizes, metas, objetivos e planos estratégicos (novos procedimentos e instrumentos participativos de avaliação).
  • o nível que se refere ao diagnóstico atual dos recursos quantitativos da organização: onde nós estamos? Onde nós queremos estar?
  • o diagnóstico atual dos recursos qualitativos da organização: como somos? Como queremos ser (o que queremos mudar)?
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário
4. Observe abaixo:


  • "Escámez e Gil, ao falarem do ?protagonismo? na Educação, desenvolvem um belo estudo sobre autonomia e responsabilidade docente. Ele se aplica perfeitamente aos estudos sobre a formação gestora para a escola, e fala da aquisição de três grupos de capacidades, nos âmbitos cognitivo, avaliativo/afetivo e comportamental."
    (ESCÁMEZ, Juan; GIL, Ramón. O Protagonismo na Educação. Porto Alegre: Artmed, 2003.)

    A melhor definição do âmbito cognitivo das competências gestoras é (são)

  • capacidades de deliberação; de avaliar as próprias ações, atentando às circunstâncias em que foram produzidas; de analisar as ações como expressão de valores; de compreender que as ações repercutem sobre o mundo e sobre os outros, afetando o futuro. CORRETA
  • a capacidade de construir lugares de compartilhamento e reflexão coletiva com os demais professores, apontando sempre para uma "autoformação participada e contínua".
  • capacidades de autonomia ou domínio sobre si mesmo, de resistência a pressões internas e externas à escola, de assumir as consequências das próprias decisões, de valorizar e comprometer-se com a tarefa de construir um mundo melhor.
  • a capacidade de realizar, na comunidade concreta em que se vive, as ações pretendidas; de articular eficazmente os meios disponíveis com as metas pretendidas.
Parte inferior do formulário

Um comentário:

  1. Como faço para acessar as provas de Principios e Metodos Supervisao e Orientação Educacional?

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Postagem em destaque

Entre em contato e peça um orçamento!.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...