sábado, julho 07, 2012

Prova N2 de Antropologia Cultural


ANTROPOLOGIA CULTURAL  (módulo 11)
Parte superior do formulário
1. QUAL É A DIFERENÇA ENTRE ALTER E ALIEN?

  • Alter significa a não-aceitação do diferente, ao passo que alien simboliza a supressão dos preconceitos e a plena aceitação do outro.
  • O europeu foi visto pelo indígena como o alien, enquanto o indígena foi visto pelo europeu como o alter, pois a cultura indígena foi respeitada.
  • Quando reconheço que o diferente não me ameaça, mas pode ensinar-me coisas novas, vejo o outro como alter e não como alien.
  • O indígena foi visto pelo europeu como o alter, isto é sem respeito por ele, mas se fosse o contrário, o indígena seria o alien.
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário
2. UM MEIO PECULIAR DE VIDA DE UM GRUPO MENOR DENTRO DE UMA SOCIEDADE MAIOR É CHAMADO DE:

  • endoculturação.
  • subcultura.
  • aculturação.
  • cultura subversiva.
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário
3. O QUE DARIA, EM PARTE, IDENTITICAÇÃO AOS NOVOS BRASILEIROS SERIA A EXPANSÃO DOS:

  • núcleos populacionais, liberando parte da população das atividades de subsistência, incorporando atividades especializadas e o sistema produtivo, que se integraria à economia mundial.
  • núcleos brancos, liberando parte da população das atividades de subsistência, incorporando atividades especializadas e o sistema produtivo, que se integraria à economia mundial.
  • núcleos indígenas, liberando parte da população das atividades de subsistência, incorporando atividades especializadas e o sistema produtivo, integrando-o à economia mundial.
  • mamelucos, liberando parte da população das atividades de subsistência, incorporando atividades especializadas e o sistema produtivo, que se integraria à economia mundial.
Parte inferior do formulário
Parte superior do formulário
4. LEIA COM ATENÇÃO O TRECHO A SEGUIR.


  • Os quilombos, ou seja, estabelecimentos de negros que escapavam da escravidão pela fuga e recompunham, no Brasil, formas de organização social semelhantes às africanas, existiam às centenas no Brasil colonial. Palmares – uma rede de povoados situada em uma região que hoje corresponde em parte ao estado de Alagoas, com vários milhares de habitantes [...] Formado no início do século XVII, resistiu aos ataques de portugueses e holandeses por quase 100 anos, vindo a sucumbir, em 1695, às tropas sob o comando de Domingos Jorge Velho.
    (FAUSTO, Boris. História do Brasil. 9. ed. São Paulo: Edusp/FDE, 2001, p. 52)

    Segundo este trecho, é correto afirmar que:

  • os africanos, assim como os índios, resistiam à opressão de seus senhores de diversas maneiras. Utilizavam-se da sabotagem, quebrando os equipamentos da produção. Alguns indivíduos, ao se verem longe de sua terra, sem família, em um ambiente estranho e hostil, acabavam cometendo o suicídio. Muitas mulheres, para não gerarem filhos que herdariam a escravidão e indiferenças, provocavam o aborto. Mesmo com toda a vigilância, os trabalhadores em regime de escravidão também escapavam para o interior e alguns formavam comunidades subsistentes compostas por escravos fugidos, as quais eram chamadas de quilombos.
  • os africanos, assim como os índios, não resistiam à opressão de seus senhores. Assim, é errôneo dizer que eles utilizavam-se da sabotagem, quebrando os equipamentos da produção. Alguns indivíduos, ao se verem longe de sua terra, sem família, em um ambiente estranho e hostil, acabavam cometendo o suicídio. Muitas mulheres, para não gerarem filhos que herdariam a escravidão e indiferenças, provocavam o aborto. Mesmo com toda a vigilância, os trabalhadores em regime de escravidão escapavam para o interior, e alguns formavam comunidades subsistentes compostas por escravos fugidos, as quais eram chamadas de quilombos, mas logo voltavam para as fazendas.
  • os africanos, assim como os índios, não resistiam à opressão de seus senhores de diversas maneiras. Utilizavam-se da sabotagem, quebrando os equipamentos da produção. Alguns indivíduos, ao se verem longe de sua terra, sem família, em um ambiente estranho e hostil, acabavam cometendo o suicídio. Muitas mulheres, para não gerarem filhos que herdariam a escravidão e indiferenças, provocavam o aborto. Mesmo com toda a vigilância, os trabalhadores em regime de escravidão também escapavam para o interior e alguns formavam comunidades subsistentes compostas por escravos fugidos, as quais eram chamadas de quilombos.
  • os africanos, assim como os índios, resistiam à opressão de seus senhores de diversas maneiras. Alguns indivíduos, ao se verem longe de sua terra, sem família, em um ambiente estranho e hostil, acabavam cometendo o suicídio. Muitas mulheres, para não gerarem filhos que herdariam a escravidão e indiferenças, provocavam o aborto. No entanto, depois de um tempo eles aceitavam passivamente a escravidão. Mesmo assim, alguns trabalhadores em regime de escravidão escapavam para o interior e formavam aldeias de escravos fugidos chamadas de quilombos, mas essas comunidades não conseguiam se manter sozinhas.

3 comentários :

  1. ANTROPOLOGIA CULTURAL
    1. Leia o trecho.


    [...] os astecas dispõem de um calendário religioso composto de 13 meses com duração de 20 dias, cada um desses dias possui um caráter próprio, propício ou nefasto, que é transmitido aos atos realizados nesse dia e, principalmente, às pessoas que nele nasceram. Saber a data do nascimento de alguém é conhecer o seu destino; por isso, assim que nasce uma criança, procura-se o intérprete profissional, que é, ao mesmo tempo, o sacerdote da comunidade.
    (TODOROV, Tzvetan. A Conquista da América: a questão do outro. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes,
    1999, p. 76.)

    Esse trecho do livro de Tzvetan Todorov mostra que

    os astecas eram pagãos, pois isso era condenável pela Igreja e pelo Tribunal da Inquisição.

    havia sacrifício humano, e essa era uma prática subjetiva e não coletiva.

    o sacerdote não tinha importância na sociedade asteca, pois todos faziam adivinhações.

    os mexicas preservavam sua religião e ritos que pareciam ser inexauríveis. (correta)


    2. EM RELAÇÃO AOS ASTECAS, É CORRETO AFIRMAR QUE:

    ela não possuíam escolas, juízes e dignatários reais.

    os seus pictogramas não registram a experiência.

    a linguagem privilegiada pelos astecas era a fala ritual.(correta)

    eram pouco evoluídos na organização do grupo.

    3. OS MOVIMENTOS DE RESISTÊNCIA:

    não marcaram a história do Brasil: a ausência de repressão, bem como o comando político e administrativo ligado ao diálogo amistoso, foram elementos importantes para a democracia social brasileira.

    não marcaram a história do Brasil: nossa índole passiva e pacífica nos faz aceitar todos os povos sem discriminação e preconceito. Esse é um elemento importante para a característica harmoniosa do Brasil.

    marcaram a história do Brasil, mas nunca de uma forma violenta: a repressão e o comando político e administrativo não existem nas terras brasileiras na medida que vivemos em pleno Estado democrático.

    marcaram a história do Brasil: com muita violência, a repressão e o comando político e administrativo, foram elementos importantes para a concentração do Brasil e exclusividade da exploração por Portugal. (correta)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...